terça-feira, 17 de maio de 2016

Ocupar e resistir amorosamente

Duas coisas me fizeram escrever isso, logo cedo nosso gatinho Haku que dificilmente sobe na pia,  lá ficou  por muito tempo, a intuição foi da Sara  que perguntou: 'tá ocupando?' Acessando a internet  de manha a primeira noticias era sobre ocupação... 
Ocupar é um direito constitucional, da pessoa que exerce sua liberdade de pensamento pelo bem comum.  É o “exercício do direito de manifestação em sua plenitude”, e hoje no Brasil ocupar é: pela democracia, pela garantia de educação de qualidade para todos e outros motivos nobres. 
Eu apoio as ocupações. Não posso ocupar fisicamente, o que posso  fazer é ocupar  meu espaço de ser de luz nesse mundo, as vezes tão escuro, com intenções elevadas,  amor,  apoiando  e acreditando que brasileiros e brasileiras são  irmãos e podemos viver em harmonia construindo coletivamente um Brasil melhor. Podemos criticar o sistema, as atitudes insanas de algumas pessoas, mas não  as pessoas. É possível. Ocupe amorosamente. 
Deixo aqui também um texto que  tem me inspirado desde de ontem.


"Quero falar com você.

Eu também estou assustada com o nosso Brasil! Eu também estou pensando no que fazer diante do nosso quadro político violento.
Não posso deixar de me lembrar de tempos de guerra e ódio e definitivamente não escolhi um mundo assim para viver. Mas é este mundo que se apresenta!
Então, não quero perder a esperança, pretendo investir nela. Mentalizar o meu país que é tão rico e bonito com uma política mais correta. Quero poder votar em homens e mulheres de bem.
Desejo fortemente que as pessoas de bem assumam cargos políticos e saiam da sombra.
Não falo de luta. Falo de representação.
Quero lembrar da força de Jesus, Gandhi, Sidarta, Dalai Lama, Confúcio e Mandela. Líderes religiosos, políticos, filósofos que sustentaram a sua força e os ensinamentos sobre o amor universal, sobre não ter medo dos opressores, sobre a escolha que temos direito, sobre a liberdade...
Não é possível construir uma verdadeira democracia sem amor. É o amor que permite o respeito ao próximo, a compaixão e a solidariedade. Somente através do amor dividimos os bens. É preciso amor para compartilhar a vida. O que eu desejo a mim, desejo ao outro. O que não é bom para mim, não desejo a ninguém.
“o melhor governo é aquele que governa através dos ritos e da moralidade das pessoas naturais, em vez de usar o suborno e a coação” (Confúcio, 500 a.c.)
Então faço um convite, vamos meditar pelo Brasil? Vamos continuar o que estamos fazendo, vamos levar Yoga para os espaços públicos e reunir o maior número de pessoas possível? Vamos gerar um movimento amoroso? Vamos mostrar que estamos cientes de tudo que está acontecendo? Vamos nos tornar lanternas na escuridão?
Meu amigo, fico muito grata por você ceder seu tempo para ler este meu apelo!
Esperança nos nossos corações! "
Namastê! Paula Ubinha



domingo, 15 de maio de 2016

Doces trocas

Uma ideia antiga agora começando a tomar forma. Produzir e trocar. O dinheiro não deve ser o único meio de adquirir os produtos que  precisamos.
Nossa primeira troca registrada aqui, nossos maracujás orgânicos por essa linda cesta. Gratidão ao Apiário Donna Flor do amigo Ed que trouxe também essas bananas e melado orgânicos.


No ano de 2016, foi a unica troca efetiva que lembro, uma amiga até trouxe um punhado de coisas e deixou em casa pra quem quisesse trocar, mas só ficou juntando poeira, acabei doando.
O tempo passou e achei q não ia dar em nada essa ideia. Mas devagarzinho vai dando. Fotografar um evento em troca da inscrição em uma oficina, ovos caipiras por boas vibrações, implementação da uma cozinha afetiva por alimentos orgânicos, boas companhias para uma refeição e afetos, aquilo de que a humanidade  tanto precisa.
Essa ultima troca foi uma ideia do Philipe e Luara do Brotou no Chão onde a  "ideia é reunir pessoas  que queiram  se alimentar com comida orgânica e vegetariana usando o horário do almoço como um momento de convívio e troca".

Primeiro almoço do coletivo de alimentação orgânico e vegetariano